domingo, 21 de junho de 2009

Oba, lá ainda vem ela..


Oba, lá ainda vem ela...


“Enquadre-se nessas três palavras: você me perdeu”. E depois de certo tempo percebo que as verdadeiras atitudes são aquelas que nos deixam simplesmente boquiabertos. E percebo também que as pessoas realmente sinceras são aquelas capazes de te perdoar por atos imperdoáveis, de te admirar mesmo após atos medíocres, de ter receio de um reencontro, mas mesmo assim querer que este se realize... Percebo que poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons, e que a felicidade pode está tão mais próximo do que possamos imaginar, batendo à nossa porta, mas mesmo assim inventamos uma ‘viagem’ para tentar buscá-la em outro cotidiano. Olho para trás e confirmo que, como diria François Jacob: “Nada é tão perigoso quanto a certeza de ter a razão”. Talvez esse tenha sido o grande erro cometido pela minha pessoa, a percepção de que o que é pra ser feito, tem que ser bem feito, mas que nem foi o respectivo caso... Mas poderia ter sido uma lição de vida, e das mais bem sucedidas! A experiência dos erros é tão fundamental quanto a dos acertos, todo aprendizado na vida passa pela experiência dos erros... Nunca troque o certo pelo duvidoso, isso é fato! Mas percebo que poderemos recomeçar agora e fazer um novo fim. Para isso, conte-me seus anseios, mostre-me suas virtudes, envolva-me... Pois dessa vez eu faço valer a pena! O interessante é que a árvore não nega sua sombra nem ao próprio lenhador, e quando está sendo cortada, observa com tristeza que o cabo do machado também é feito de madeira... E foi dessa forma que fui tratado durante o referido período. Apesar dos pesares, em momento algum fui tratado de maneira indiferente, sarcástica... Percebo assim que, por mais voltas que o mundo dê, por maior que ele seja, sempre retornaremos a princípios que regem nossa permanência nesse deplorável mundo de dementes! E que temos sempre que preservar conceitos que nos firmam como seres humanos, e fazer com que tais conceitos passem a guiar os pensamentos e que as atitudes passem a serem convenientes com os sentimentos. E de repente estamos aqui novamente! Diante de mim existem duas estradas, e pretendo escolher a menos percorrida, pois, com certeza, isso fará toda a diferença! E dessa vez já vesti minha armadura e estou pronto pra o combate, pronto pra enfrentar os desafios, estes que podem ser degraus ou obstáculos, é só uma questão de com enfrentá-los! “Meu Problema”. Dessa forma eloqüente lhe chamei por um longo período, mas como a melhor forma de prever o futuro é inventá-lo, pretendo chamar-te de “Minha Dádiva”, o que para isso dependerá diretamente mais do seu querer do que da minha vontade. E no fim, tudo dá certo! A felicidade sempre procura um ótimo final pra todas as histórias! Queres fazer parte da minha? Simples! Seja sempre assim, cheia de virtudes que só te engrandecem, cativante, amável, meiga, sincera... Estás no caminho certo, mas mesmo assim, será atropelada se ficares apenas sentada nela! E esse fato não é mais pertinente a tal situação, não é o que se pretende para o futuro. Aquele que tentou e nada conseguiu é superior àquele que nada tentou, e é pensando dessa forma que vou à busca do meu objetivo, e você faz parte dele, saiba disso desde já! E quem sabe descubro que além de anjo, você pode ser um grande amor!



Texto e foto: Thiago Maia

2 comentários:

Tetê disse...

nem anjos nem demônios...
nem certos, nem errados...
a perfeição tem prazo de validade
e conceitos são só conceitos.
nada como o não previsível.
de cara em coros,
do mundo às voltas simples.
assim, sem anjos,
pessoas,
bem pessoas!
Abrç.

Nice disse...

E pq nao trokr o certo pelo duvidosow
Muitas vezes, é na duvida, na incerteza da incapacidade da incompreençao, que surge a certeza do proximo passo.

Bjin