quarta-feira, 24 de junho de 2009

Psiu... O que fazes?


Psiu... O que fazes?

E certo dia desses estava entediado de uma forma perversa que nada me fazia reagir. Opa, nada não! Fotografia é uma perfeição pra fazer com que essa 'depressão pós parto' vá embora. E assim fui tentar me animar em uma tarde de sábado de uma cidade interiorana. Bem difícil arrumar um programa que te faça largar a noção de tempo capitalista hoje em dia. Tudo é pago! Enfim, fazer o que né? Posso eu mudar o mundo? Talvez... Acho que nessa tarde aparentemente inexpressiva, uma simples atitude mudou o modo de ver de pelo menos duas pessoas... Eu e a senhora da foto acima! Convidei o Vinicius, amigão, e que fotografa muito bem, pra irmos nesse passeio pela cidade em busca de cenas para nossas queridas câmeras. Lá pelas quantas resolvemos passar em frente ao abrigo dos velhos, como é chamado o asilo para idosos aqui [e creio que em muitos lugares] e como estava no horário em que os ocupantes do local tomavam sol, resolvemos parar e clicar um pouco do cotidiano deles. Fotos pra cá e pra lá, comentários, muitos curiosos observando e nos chamando de lerdos [o povo não tem ainda o hábito de ver alguém fotografar, acham logo que é fotojornalismo ou pra sites de festas, mas em breve esse quadro mudará], e de repente uma das senhoras que estava a tomar sol vem até onde eu estava, perto do muro que a altura era a mesma da minha cintura, e me pergunta o que eu estava a fazer... Respondi a ela que eu tinha como hobby fotografar e que havia achado interessante o momento em que estávamos e resolvi registrar aquilo pra mim. Fui mostrar algumas fotos pra ela e a surpresa foi tamanha: ela nunca tinha se visto em uma câmera digital! Claro, isso não é o fim do mundo, já que nem todos têm acesso à tecnologia, mas é que pra mim aquilo foi tão gratificante. Ela ficou felicíssima em se ver na fotografia, e a partir desse simples gesto mudaram-se tantas coisas em minha vida... Passei a dar bem mais valor a coisas cotidianas, a fatos banais, a situações que pra mim antes seriam desinteressantes e supérfluas. Olhei pra fisionomia dela inúmeras vezes imaginando a quantidade de histórias contida naquele rosto enrugado, sofrido pelo sol e pelo tempo... Olhei no fundo dos olhos dela buscando decifrar os enigmas contidos na vastidão daquele pensamento transmitido através de uma retina úmida e cristalina... Absorvi apenas uma ingratidão por parte de quem ela tanto amou e cuidou por toda uma vida e agora a abandonou em um local não digno de um fim de vida...


Texto: Thiago Maia
Foto: Vinicius Lima
Mais fotos em: www.flickr.com/thyagumayah
www.flickr.com/vieclara

32 comentários:

Ana Paula disse...

Que lindo isso!
parabens por ter parado no abrigo!:)
as vezes,algo que nos entristece,nos incomoda,evitamos né?Eu mesma,achava tão injusto imaginar aquelas pessoas abandonadas lá, e por isso evitava,resolvi esse bloqueio indo lá, prestar serviços voluntarios, foi o melhor que fiz,pra eles, e principalmente pra mim...
Tenha certeza, que ela não esquecerá esse momento tão cedo ...
pquenos momentos fazem sempre diferença na nossa vida!
como diz F.Young:" o problema é que quero muitas coisas simples,por isso pareço exigente "

Beeeeeeeeijos!

Iris disse...

Thiii, interessanteee!!! Adorei o texto. Aí ó, vá mais ao abrigo viu, tire fotos e quem sabe não acha uma gatinha por lá!! rsrs
beijo meu lindo!

Thiago Maia disse...

Pois é Ana Paula, sei muito bem como é gratificante ajudar alguém dessa forma. E depois passei a ir lá com mais frequência. Participo de um grupo da igraja católica denominado Escalada Missionária, e dentre outras atividades, visitar o asilo é uma das... E os idosos ficam ansiosos esperando o dia das visitas, fico tão contente em fazer bem a alguém! Essa foto significa MUITO na minha vida, só em observar ela já lembro do diálogo.

kea disse...

É incrível como as pessoas passam a esquecer as coisas q as pessoas que nos ama fazem,pois veja...De um ventri saiu e depois que aprendeu a “andar” esquece daquela q ensinou como dar o primeiro passo!
Só de imaginar as histórias e as conversas que vc deve ter dito, fico curiosa...=)
Parabéns por ser um dos poucos q ainda se importam com a humanidade!
Parabénssssssssssssss

Anônimo disse...

Lopeum!
Rpz quem era Thiago!
Muito massa man!
A história faz passar um filme. É como se nos desprendermos da realidade e viajar na foto e no texto.
A realidade da senhora nos faz pensar que essa realidade não foge a nossa e que seu simples jeito de fotografar pode representar uma alegria que ela não sente a tempos.
Muito massa a reflexão!

Tetê disse...

Tiago,

cada um então,
que cuide de sua vida,
que faça sua parte,
e de preferência que seja parte integrante de
um contexto bastante diferenciado
do que vemos por aí.
Pela falta de amor, não só próprio,
mas também pelo próximo!
Assim, como vc faz da sua vida a sua
arte e eu,
do meu amor,
minha sobrevivência.
Abçs.

Flor disse...

Aposto como ela nunca mais vai te esquecer. E da próxima vez em que ela ver, ou tocar em uma câmera digital vai mesmo lembrar de você.
=)

Posso te escrever... Se corresponder =)

Beijo grande.

Nathy disse...

Emocionante!!!!!!!
Passei por experiencia semelhante: asilo, pessoa que nunca tinha se vist numa foto. O senhor chegou a chorar!
E depois dizem que para ser feliz é preciso dinheiro......
Lindo isso, Thiago!!!!!!!!
E fotografar tem essas coisas: pessoas + pessoas + foto+ história para contar.

Priscila Rôde disse...

São coisas tão simples, mas que possuem um grande valor. As vezes perdemos tempo com coisas tão complexas, cara, e não sentimos o mesmo prazer.
É bom fugir e fazer sempre isso, pra que essa situação/sensação se repita.
Obrigada pela visita/comentário no meu blog!

Beijos

Marcos Satoru Kawanami disse...

realmente, deixar alguém no asilo é maldade.

a velhinha com certeza amou ver a foto digital de si mesma! o rosto dela está lindo!

=D
marcos

Atreyu disse...

Acho o serviço voluntário algo muito massa!
Já tive oportunidade, fazer o bem toca!!!
;D
Gostei daqui. =3

Thiago Maia disse...

prestar um serviço é bem bacana mesmo, nos doamos tão pouco mas ganhamos taaaaaaaaaaaaaaaanto... e pra quem recebe uma devida atenção, aaaaaah, aquilo é tudo... o mundo poderia ser bem melhor, bastava haver mais esperaça e atitude.

Philip Rangel disse...

quem ajuda uma pessoa sempre sera ajudado...

parabens Thiago.......
se todo mundo fizesse o mesmo o mundo nao seria ocmo esse;;;;

vou te seguir..
abraços

Fernanda disse...

Já fiz trabalhos voluntários em alguns asilos por aqui e, em cada vez que eu fui... tive um aprendizado diferente. É incrível como fazer o bem é gratificante e nos fortalece quanto pessoa.
Acredite: quando fugimos desse sistema capitalista e percebemos a riqueza que existe ao nosso redor - no cotidiano, na natureza... nossa vida passa a ter um novo sentido. Muito melhor que o antigo. Pode parecer papo de hippie e coisa e tal, mas desafio você a tentar.
... Depois você me diz se eu estava certa ou não.
:)

ps.: também tenho a fotografia como Hobby

Fernanda disse...

que ótimo! Te adicionei aos meus também. Assim, volto aqui mais vezes. E por falar em voltar... dei uma olhada nas fotos, belíssimas por sinal! Voltarei lá com mais calma. Sim, eu também tenho um site com as minhas, mas diante das suas fiquei um pouco com envergonhada, sabe? uhsuhss Minha máquina é bem humilde, a resolução não é assim tão maravilhosa quanto essa. Mas quem sabe um dia... ^^
Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Ótimo final de semana pra ti.
Beijo, de luz.

ps1: Adorei o que você falou sobre 'tampa da panela' é bem como eu penso, mas nunca tinha feito uma analogia tão brilhante!
ps2: Gostei muito desse espaço para desenhar. Outro hobby meu é desenhar (e muito feio, por sinal)... um dia vou te presentear com minha 'arte' kkkkk Brincadeira

Thiago Maia disse...

pois é fernanda, a analogia da tampa e da alça da panela é legal sim, ehehee
se todos pensassem assim, seria uma ótima idéia
e quero sim receber essa arte em desenho, nos encontraremos no msn e envio meu endereço pra ti, e você envia o desenho pra mim
rs

beijo

Ava disse...

Oi Thiago, um texto sensmsível... onito quanto isso vem de um homem, a einada jovem...rs

Moço, aqui nessas madrugadas rindo de seus comentários lá pras bandas do Camisinha...rsrsr

Na falta de sono..rsrsrs


Beijos!

Ava disse...

Acho que meus comentários estão sendo comidos por esse PACMAN...rs

Caleidoscópio disse...

Poxa... Bonito.
É incrível como pessoas ou situações inesperadas mexem com a gente. Engraçado como mesmo alguma coisa que, à princípio, não tem valor, pode mudar completamente a perspectiva de um olhar.
Gostei.

Carol disse...

Adorei o texto e... principalmente... me encantei com a foto!!!!
Muito obrigada pela visita... vc entrou pra minha lista de favoritos!!!!!
Bjo

☆ Sandra C. disse...

o que você fez, rapaz, foi um belo exemplo de boa ação. de empatia. e, principalmente, de tolerância e gratidão!

certamente, se pudesses fotografar todas as histórias contidas atrás da retina dessa senhora, certamente terias uma exposição inteira. mas, que, infelizmente, poucos dariam valor. essa é que é a verdade!

p.s.: eu estaria entre os poucos, no entanto. e adoro e admiro a arte da fotografia!

Philip Rangel disse...

Fala Thiago...
meu comentario ta ai em cima..
sou o namorado da Patricia..e dono do Entrando Numa Fria...estou te seguindo aqui ja faz um tempo...

vlw mesmo brother pelos parabens...

abraçao

Leonardo almeida disse...

gostei, incrivel :]

Patrícia Kobayashi disse...

Parabens, Thiago!
Pelas fotos e textos no seu blog!
Sempre quis ter uma camera fotografica para tirar foto a esmo, assim como vc faz, um dia terei.
Adoro fotografia, elas sempre transmitem algum bom, singular!

Obrigada pela visita ao Palavras Cruzadas, volte sempre que puder. te seguirei tbm!
PS: meu namorado ja passou por aqui... =D

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Nossa!
Não vou nem comentar direito, pois hoje não posso; seu BLOG não merece uma visitinha rápida, não! Preciso vir com calma!
Me aguarde!...
Parabéns pelo trabalho!
BJS!

Ava disse...

Thiago, o sentimento de sozinhez é um sentimento solitário...
Elementar meu caro Watson...rs
Dificil explicar o que passa na nossa alma...

Agradeço seu carinho...

Podes ter certeza que reconfortante é demais...


Beijos!

Teórico disse...

Muito bom cara, a grandeza de um homm está nos pequenos atos...

Rosi Reis disse...

Que lindo...Bela postagem
fotografia e texto funcionaram mto bem como cartões de visita, voltarei sempre para acompanhar

Camila disse...

Fotografia incrível, acompanhada de um belo texto.
Tá de parabéns

Nice disse...

Bb.... conheço essa foto


Hj tbm sai pra fotografar.... estava em um congresso na facu... tantos rostos, tantos sorrisos, olhos que estão agora entrando no mundo acadêmicos, e olhos com rugas, denunciando os anos vividos... gestos, mãos ao ar, frases soltas... andando pelos corredores com uma amiga, a Lili, observando tantas vidas, tantos sonhos, tantos quereres, abri minha bolsa, peguei a câmera, minha amiga inseparável e fiel, e me isolei, vi uma flor, sozinha, irradiando beleza em um campus universitário, rodeado por pôsteres, doutores e acadêmicos.... vc em uma tarde,se perdeu na beleza das rugas de uma senhora, que com certeza, é abençoada por Deus, eu me perdi na beleza de uma flor, rodeada por cientistas incapazes de olhar a beleza a sua volta.

Cuide-se

railer disse...

triste, mas ao mesmo tempo foi bonito o que aconteceu e imagino como você deve ter se sentido.

você mora onde? onde é esse abrigo?

Leillyanne disse...

É tico, realmente uma coisa que ainda não entrou em minha cabeça, e espero que não entre nunca é essa questão dos filhos abandonarem os pais, netos avós etc. Não tem lógica, concordo plenamente com vc. E nossa, lendo suas palavras, e vendo essa foto, me transportei lá p casa da minha bisavó de 91 anos. Como a amo, como desejo chegar a sua idade lúcida como ela está hoje, tantas histórias, tantas experiencias. Dá vontade de chorar, e esse texto q vc fez, só m fez refletir ainda mais, assim como vc, e dar mais valor a essas GRANDES coisas que são nossa familia, e as pessoas idosas do nosso país. Parabénss pelo texto. Me levou ainda mais pra dentro de mim. Deus te abençoe.